Weby shortcut
  • ibrammp8502018

    Consulta Pública MP n. 850, extinção do IBRAM e criação do ABRAM

    O e-Cidadania, site onde é possível dar sua opinião sobre projetos de lei, medidas provisórias e outras proposições que tramitam no senado, está realizando uma Consulta Pública a respeito da MEDIDA PROVISÓRIA nº 850 de 2018, que pode ser conferida aqui.

     

    A MP n. 850/2018 autoriza o Poder Executivo federal a instituir a Agência Brasileira de Museus - Abram, serviço social autônomo, na forma de pessoa jurídica de direito privado sem fins lucrativos, extingue o Instituto Brasileiro de Museus - Ibram, e dá outras providências.

     

    Você pode participar da Consulta Pública aqui, vote e deixe sua opinião.

  • memoriacoletivahorror

    Conheça o Dicionário da Memória Coletiva

    Os debates sobre a memória tem sido temas muito presentes na esfera pública nos últimos anos. Baseado nisso o Dicionário da Memória Coletiva traz uma proposta de releitura moral do nosso passado recente no que se concerne a memórias do horror, se tornando uma reflexão política da segunda metade do século XX e início do século XXI. Assim como considera o historiador e sociólogo norte americano John Torpey (Politics and the Past: On Repairing Historical Injustices, 2003), o aumento da preocupação com a memória se tornou um fenômeno que foi suplantado, na política contemporânea, as formas visionárias de imaginar o futuro.

     

    O trabalho com a memória pode nos ajudar a colocar em primeiro plano a figura da vítima e fazer da empatia, uma capacidade de se colocar no lugar do outro, com o centro da reflexão moral sobre o que permanece em nós desse passado, e acima de tudo, sobre como devemos nos posicionar diante dele. Assim, como afirma a socióloga argentina Elizabeth Jelín, "falar de memória significa falar do presente. A memória não está falando do passado, mas da maneira como os sujeitos constroem um sentido do passado em sua ligação (...) com o presente e um futuro desejado".

     

    Em uma realidade de aumento significativo de estudos acadêmicos sobre memória coletiva, museus e lugares de consciência no mundo inteiro, querendo ou não, a memória ainda não é parte trivial de nossa agenda de cidadania, reinvindicações políticas e produções culturais. O dicionário então se torna uma ótima oportunidade para levar ao público um trabalho introdutório de reflexão coletiva sobre o tema e proporcionar "instrumentos analíticos" pensados para ajudar a orientar aqueles que querem aprofundar um pouco mais sobre as questões.

     

    O Dicionário da memória coletiva foi dirigido pelo professor de história da Universidade de Barcelona Ricard Vinyes, começou em 2010 mas só foi concluído em 2017.  O resultado final é um volume de 600 páginas que conta com um total de 272 ártigos, realizados por 187 autores. O volume conta com uma coleção de 43 imagens, uma lista de 19 filmes e por enquanto só está disponível em espanhol.

     

    Os temas trazidos envolvem a memória do nazismo e da repressão soviética, ditaduras latino americanas, o discurso de Allende no palácio de Moneda e outros. A dificuldade de se cristalizar e definir acontecimentos ao redor do mundo trouxe uma lacuna no que tange à respeito da Asia e África, e deixou de fora alguns temas como o horror cometido com os negros no Cais do Valongo do Rio de Janeiro e outros.

     

    O dicionário está disponível gratuitamente e você pode acessa-lo clicando aqui.

  • resistencianegrarevistaacervo

    Revista Acervo abre chamada de artigos para o dossiê "Memórias e legado das resistências negras"

    A revista Acervo abre chamada de artigos para o dossiê Memória e legado das resistências negras. A edição tem previsão de publicação em janeiro de 2020, e é organizada pelos historiadores Carlos Alberto Ivanir dos Santos, do Arquivo Nacional, e Álvaro Pereira do Nascimento, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

     

    Espera-se artigos inéditos de cunho teórico e metodológico que possam vislumbrar as inúmeras experiências históricas, culturais e religiosas, e formentar reflexões sobre as construções e os lugares de memórias e resistências dos grupos negros no Brasil. Os trabalhos devem estar de acordo com as normas editoriais e atender ao escopo apresentado.

     

    A revista Acervo recebe somente submissões assinadas por doutores ou que tenham doutores como coautores. E o prazo para submissão de artigos é até o dia 30 de abril de 2019.

     

    Saiba mais aqui.

     

    revistaacervoresistencianegra

  • arquivonacionalalemaes

    Autoridades alemães fazem pesquisas em Arquivos da America do Sul em busca de nazistas

    O Arquivo Nacional recebeu na segunda-feira, 29 de outubro, três comissários do Escritório Central de Administração Judiciária Nacional em Ludwigsburg, Alemanha, que fazem pesquisas em Arquivos Nacionais da América Sul, como os da Argentina, Bolívia, Chile, Peru e Uruguai em busca de nazistas.

     

    O objetivo da pesquisa que será realizada nas próximas duas semanas, é procurar em documentos relativos à imigração que constam do acervo do Arquivo Nacional pistas para encontrar nazistas que escaparam para a América Latina. O principal fundo a ser consultado é o Serviço de Polícia Marítima, Aérea e de Fronteiras (SPMAF) dos estados de São Paulo, Santos e Santa Catarina. Caso estejam vivos e com menos de 100 anos — idade máxima para prender alguém, segundo a legislação alemã, — eles podem ser processados, já que a Alemanha não anistiou seus criminosos de guerra.

     

    Desde 2009, o Escritório Central de Investigação dos Crimes Nazistas já fez várias visitas ao Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro, à procura de registros de alemães nascidos entre 1916 e 1931. Quem se encaixa no perfil tem os dados enviados à sede na Alemanha, que verifica se a pessoa esteve a serviço do Terceiro Reich. O objetivo principal é encontrar pessoas que fossem bem jovens na época – cuja probabilidade de estarem vivas é maior – e que exercessem funções de baixo escalão, como guardiões de campos e contadores ou fossem membros da Juventude de Hitler.

     

    Entre os prontuários analisados anteriormente pela equipe foi encontrado um registro de oficial que participou de uma unidade de extermínio na Ucrânia, mas que já estava morto na época da pesquisa. Ele fugiu para o Brasil, onde formou família e morreu de velhice.

     

    O mais famoso caso de oficial nazista que se escondeu em terras brasileiras foi o de Josef Mengele, conhecido como "Anjo da Morte". Ele foi o médico em Auschwitz (rede de campos de concentração e extermínio localizados no sul da Polônia) encarregado da triagem de prisioneiros, que eram enviados para trabalho forçado ou câmara de gás. Morreu aos 67 anos, em 1979, afogado em Bertioga (litoral de São Paulo) sem nunca ter sido julgado.

     

    Pesquise você também no Arquivo Nacional. As consultas podem ser feitas através do Sistema de Informações do Arquivo Nacional – SIAN, clicando aqui, através do atendimento presencial no Rio de Janeiro e em Brasília, de segunda-feira à sexta-feira entre 7h30 e 19h30 ou pelo atendimento a distância disponível aqui.

    Confira a matéria na integra no site do Arquivo Nacional.

     

    pesquisadores_alemães2

  • edital_mic2018

    Ministério da Cultura Disponibiliza Novos Editais

    O Ministério da Cultura está com dois editais disponíveis.

     

    O edital 4 terá como objetivo selecionar os ganhadores do Prêmio de Incentivo à Publicação Literária, com tema de 100 anos da Semana de Arte Moderna de 1922-2018 e suas inscrições irão até o dia 15/11 de 2018.

     

    Já o edital 13 conta com um fomento à realização de projetos de formação e qualificação de recursos humanos nas áreas técnica, artística e gerencial, onde serão disponibilizados recursos financeiros no valor de até R$ 16.150.000,00.

    Para maiores informações acesse o site do MinC e confira.

  • imagem_resolucao

    Disponíveis resoluções sobre Governança de TI na UFG

    Foram publicadas as Resoluções do CONSUNI nº 18/2018, nº 19/2018 e nº 20/2018, que versam sobre Governança de TI na UFG.

    Estão disponíveis a RESOLUÇÃO - CONSUNI Nº 18/2018 que altera a Resolução CONSUNI Nº 10/2015, que cria o Comitê de Tecnologia da Informação da UFG; a RESOLUÇÃO - CONSUNI Nº 19/2018 que altera a Resolução CONSUNI Nº 25/2017, que institui o Sistema de Governança de Tecnologia da Informação (SGTI) e a RESOLUÇÃO - CONSUNI Nº 20/2018 que Altera a Resolução CONSUNI Nº 42/2017, que institui a Política de Tecnologia da Informação (PoliTI) no âmbito da Universidade Federal de Goiás.

     

    Estas resoluções contam com diagrama do fluxo em anexo, de modo a facilitar o entendimento dos documentos.

  • logo_fe_50_anos

    Faculdade de Educação (FE) comemora 50 anos com resgate da memória institucional

    A Faculdade de Educação (FE), em parceria com o Centro de Informação, Documentação e Arquivo (Cidarq), lançou nesta quarta-feira (31/10/18) o conjunto documental permanente da unidade acadêmica no software Atom, como parte das comemorações de seus 50 anos. Na plataforma de acesso livre estão disponibilizados 633 arquivos, que foram digitalizados e disponibilizados para consulta.

    Confira a notícia no portal UFG

  • cesio1

    ''...E o Desastre Radioativo de Goiânia se Revela: Narrativas e Memórias Jornalísticas''

    No dia 13 de novembro de 2017, aconteceu a abertura da exposição ''...E o Desastre Radioativo de Goiânia se Revela: Narrativas e Memórias Jornalísticas''. O evento contou com a presença do reitor da Universidade Federal de Goiás, Professor Orlando Afonso Valle do Amaral, da Diretora do Centro de Informação, Documentação e Arquivo, Heloísa Esser dos Reis e da curadora da exposição, a antropóloga Telma Camargo da Silva. Também se fizeram presentes representantes do judiciário; dos governos estadual e municipal; da Associação das Vítimas do Césio-137 e da Associação dos Contaminados, Irradiados e Expostos ao Césio 137. O evento contou ainda com a realização da mesa-redonda que discutiu a atuação da imprensa na cobertura, em 1987, do desastre com o Césio - 137, dentre os convidados estavam Cesar Luiz V. Nei Clara Lima, Suely Lina, Mirian Tomé,Telma Camargo da Silva, Cileide Alves, Washington Novaes e Jadir Andrade. As falas aconteceram no auditório da Academia Goiana De Letras e seguiu com a abertura na Casa da Memória da Justiça Federal de Goiás.

    folder21

     

    Imagens: Flávio Diniz

    Veja as fotografias do evento clicando aqui.

    Folder informativo.

  • Rede

    Rede de Arquivos e Protocolos Setoriais - UFG

    A Rede de Arquivos e Protocolos Setoriais da UFG será formada por membros representantes de todas as unidades e órgãos indicados por seus dirigentes.

    Os membros da Rede planejarão ações que visam resolver questões referentes aos arquivos físicos e digitais das unidades e órgãos de forma participativa e colaborativa. A Rede também promoverá a gestão de documentos em todas as unidades e órgãos, obedecendo ao que expressa o Manual de Gestão de Documentos da UFG, lançado em 20/09/2017.

    As primeiras reuniões serão agendadas para o mês de agosto de 2018. Para a execução do planejamento, os membros da Rede se dividirão em subgrupos de acordo com a característica da atividade, da abrangência e da proximidade das unidades e órgãos. 

    O membro escolhido pela unidade ou órgão para integrar a Rede de Arquivos e Protocolos Setoriais deverá ser servidor efetivo. No processo de escolha deverão ser observados os seguintes requisitos preferenciais:

    1. a) ocupar cargo de técnico de arquivo;
    2. b) ter participado de treinamento em gestão de documentos;
    3. c) ter participado de treinamento para o Sistema Eletrônico de Informações;
    4. d) participar da execução das atividades de protocolo, arquivamento, controle e desarquivamento de documentos na unidade ou órgão.

    O Cidarq solicita que os membros representantes sejam indicados pelos dirigentes das pró-reitorias, regionais, unidades e órgãos, em conformidade com o que estabelece o documento expedido pelo Cidarq, até o dia 03/08/2018, para o endereço eletrônico rede.cidarq@ufg.br

    As inscrições, para o curso Curso Procedimentos da Gestão Documental na UFG promovido pelo Cidarq em parceria com a Diretoria de Acompanhamento e Desenvolvimento de Pessoas (DAD), estão abertas e será realizado entre os dias 04/09 e 04/10 e recomenda-se que todos os servidores indicados façam sua inscrição e participem do curso.

  • imagem_capa_manual_gestao_doc_arq_2017

    Manual de Gestão de Documentos UFG

    O Centro de Informação, Documentação e Arquivo (Cidarq) disponibiliza o Manual de Gestão de Documentos Arquivísticos. Publicado na forma de e-book pela Editora Gráfica UFG, o documento deve ser adotado como orientações para gestão de documentos na Universidade Federal de Goiás.

     

    Baixe o manual

     

    imagem_capa_manual_gestao_doc_arq_2017

  • TERMINAL SEI

    Terminal de Atendimento - SEI/UFG

    Está em funcionamento no CIDARQ o Terminal de Atendimento SEI - UFG. O terminal pode ser utilizado por todos os servidores que tenham dificuldades ou dúvidas quanto ao uso do SEi. O atendimento acontece no período de 08h às 12h e 13h às 17h. 

    Maiores Informações

  • Ver todas