Weby shortcut
  • ongvoaambevnotice

    Edital da AMBEV apoia ONGS em todo o Brasil

    O VOA é um programa criado pela AMBEV, com objetivo de compartilhar conhecimento de gestão com ONGS focadas em gerar oportunidades para pessoas em comunidades de baixa renda. O intuito é unir as pessoas para ajudar as organizações a causarem um impacto positivo na sociedade.

     

    Instrutores especializados em gestão de pessoas, orçamento, projetos, desdobramento de metas e outros temas passarão o conteúdo para as ONGs em aulas coletivas. Além disso, cada voluntário Ambev apadrinhará uma organização, ajudando na transferência de conteúdo e na implementação de um projeto prático voltado para a comunidade.

     

    Dentre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável estão:

    1 - Erradicação da pobreza

    2 - Fome zero e agricultura sustentável

    4 - Educação de qualidade

    5 - Igualdade de gênero

    6 - Água potável e saneamento

    7 - Energia acessível e limpa

    8 - Trabalho decente e crescimento econômico

    9 - Indústria, inovação e infraestrutura

    10 - Redução das desigualdades

    11 - Cidades e Comunidades sustentáveis

    12 - Consumo e produção responsáveis

    13 - Ação contra a mudança global do clima

    14 - Vida na Água

    15 - Vida terrestre

    16 - Paz, Justiça e instituições eficazes

    17 - Parcerias e meios de implementação

     

    Quer fazer parte do VOA e partir em busca de novos conhecimentos?

     

    Inscreva sua ONG e participe do processo seletivo, clique aqui para mais informações.

    O Edital está disponível para todo o Brasil e suas inscrições vão de 17/01/2019 até 17/02/2019.

  • aulasufgmusica

    Estão abertas as inscrições para oficinas de Música na EMAC

    Inscrições para o primeiro semestre vão até o dia 8 de fevereiro

     

    Estão abertas, até o dia 8 de fevereiro, as inscrições para o projeto de extensão "Oficinas de Música", da Escola de Música e Artes Cênicas (EMAC/UFG). Para se inscrever, é preciso preencher o formulário online. O curso tem um custo de R$ 390 por semestre e as aulas começam no dia 11 de março.

     

    O Projeto de Extensão Oficinas de Música visa oferecer cursos de formação musical de qualidade a toda a comunidade goianiense a baixos custos, com foco no aprendizado teórico e prático da linguagem musical básica (melodia, ritmo, harmonia), através da leitura de partituras, estudo de um Instrumento Musical e prática da percepção musical. Os alunos do Projeto podem aprofundar seu contato com a música apenas por interesse cultural, ou com o intuito de ingressar em um dos cursos de nível superior da EMAC, com vistas ao profissionalismo.

     

    Em 2019-1 serão mais de 360 vagas, e o aluno da extensão poderá frequentar aulas coletivas ou individuais de Instrumento, Canto, Composição e Regência, Coral e Orquestra de Cordas (iniciação), sendo ainda gratuitamente oferecidas aulas de Teoria, Percepção e Apreciação Musical.  Os cursos têm duração média de três anos, mas podem atender  alunos da comunidade que queiram prestar vestibular para cursos superiores de Música, realizar concursos públicos ou exames de seleção em orquestras, cursos de pós-graduação  ou simplesmente aperfeiçoar seus conhecimentos e sua performance.Os cursos são oferecidos à comunidade nos turnos matutino, vespertino e noturno, de segunda a sábado, e são lecionados por alunos, egressos e professores dos cursos de graduação (Bacharelado e Licenciatura) e pós-graduação em Música da Escola de Música e Artes Cênicas da Universidade Federal de Goiás.

     

    Programação:

    Aulas de Composição, Piano, Canto, Violão, Violoncelo, Violino, Viola Clássica, Guitarra, Flauta Doce ou Transversal, Regência, Percussão, Saxofone, Teoria, Percepção Musical para toda a Comunidade.

    Clientela: Para Iniciantes, Vestibulandos, Estudantes de Graduação e Profissionais. 
    Idade mínima: 14 anos
    Idade Máxima: não há
    Período de inscrição: até 08/02/2019; 
    Matrículas dos selecionados: 27 e 28/02/2019
    Início das aulas: 11/03/2019
    Valor do Semestre: R$ 390,00
  • cursodeidiomasufg

    Estude no Centro de Línguas da UFG

    São ofertadas vagas para Inglês, Francês, Italiano, Alemão, Espanhol ou Mandarim. Para ingressar nas turmas de Inglês I é necessário participar de sorteio online

     

    O Centro de Línguas da UFG - Regional Goiânia divulgou o calendário de matrículas para o primeiro semestre de 2019. Qualquer pessoa maior de 16 anos pode estudar Inglês, Francês, Italiano, Alemão, Espanhol ou Mandarim no centro de ensino. Devido a alta demanda, o ingresso para o Inglês I se dá por meio de sorteio online de vagas.  As matrículas acontecem entre os dias 11/2 a 8/3, na sala 28 da Faculdade de Letras (FL) da UFG, localizada no Câmpus Samambaia, conforme data específica para cada disciplina e nível. 

     

    Os interessados devem ficar atentos as datas de matrícula específicas para cada curso e a possibilidade de realização de teste de nível. As aulas começam no dia 11 de março. Pelo semestre de aulas é cobrado o valor de 470 reais para a comunidade em geral e 375 para aqueles que possuem vínculo com a UFG. Há ainda desconto para estudar uma segunda língua. Em caso de dúvidas, os interessados devem entrar em contato pelo telefone 3521-1412/1135.

     

    Confira o calendário completo e as dúvidas frequentes com relação a matrícula. 

  • revistaufgtry1

    Chamada de Artigos para a REVISTA UFG v.19, nº 1-2019

    Está aberta a chamada de artigos para a Revista UFG. O recebimento dos mesmos ocorrerá do dia 12/11/2018 ao dia 05/02/2019.

     

    A Revista, editada pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Federal de Goiás (UFG), tem por objetivo promover a divulgação da produção acadêmica que tenha como foco a extensão e cultura nas suas múltiplas relações, além de contribuir para debates que envolvem a sua indissociabilidade com a pesquisa e graduação.

     

    A editora é composta por: Profa. Dra. Lucilene Maria de Sousa (Pró-Reitora de Extensão e Cultura - UFG), Dra. Daniela da Costa Britto Pereira Lima (Editora Chefe da Revista UFG) e Jéssica Traguetto (Editora Gerente da Revista UFG).

     

    O referido periódico está disponível para acesso on-line por meio da página Revista UFG.


    Envie já sua contribuição!

     

    revistaufgbanner

  • memoriacoletivahorror

    Conheça o Dicionário da Memória Coletiva

    Os debates sobre a memória tem sido temas muito presentes na esfera pública nos últimos anos. Baseado nisso o Dicionário da Memória Coletiva traz uma proposta de releitura moral do nosso passado recente no que se concerne a memórias do horror, se tornando uma reflexão política da segunda metade do século XX e início do século XXI. Assim como considera o historiador e sociólogo norte americano John Torpey (Politics and the Past: On Repairing Historical Injustices, 2003), o aumento da preocupação com a memória se tornou um fenômeno que foi suplantado, na política contemporânea, as formas visionárias de imaginar o futuro.

     

    O trabalho com a memória pode nos ajudar a colocar em primeiro plano a figura da vítima e fazer da empatia, uma capacidade de se colocar no lugar do outro, com o centro da reflexão moral sobre o que permanece em nós desse passado, e acima de tudo, sobre como devemos nos posicionar diante dele. Assim, como afirma a socióloga argentina Elizabeth Jelín, "falar de memória significa falar do presente. A memória não está falando do passado, mas da maneira como os sujeitos constroem um sentido do passado em sua ligação (...) com o presente e um futuro desejado".

     

    Em uma realidade de aumento significativo de estudos acadêmicos sobre memória coletiva, museus e lugares de consciência no mundo inteiro, querendo ou não, a memória ainda não é parte trivial de nossa agenda de cidadania, reinvindicações políticas e produções culturais. O dicionário então se torna uma ótima oportunidade para levar ao público um trabalho introdutório de reflexão coletiva sobre o tema e proporcionar "instrumentos analíticos" pensados para ajudar a orientar aqueles que querem aprofundar um pouco mais sobre as questões.

     

    O Dicionário da memória coletiva foi dirigido pelo professor de história da Universidade de Barcelona Ricard Vinyes, começou em 2010 mas só foi concluído em 2017.  O resultado final é um volume de 600 páginas que conta com um total de 272 ártigos, realizados por 187 autores. O volume conta com uma coleção de 43 imagens, uma lista de 19 filmes e por enquanto só está disponível em espanhol.

     

    Os temas trazidos envolvem a memória do nazismo e da repressão soviética, ditaduras latino americanas, o discurso de Allende no palácio de Moneda e outros. A dificuldade de se cristalizar e definir acontecimentos ao redor do mundo trouxe uma lacuna no que tange à respeito da Asia e África, e deixou de fora alguns temas como o horror cometido com os negros no Cais do Valongo do Rio de Janeiro e outros.

     

    O dicionário está disponível gratuitamente e você pode acessa-lo clicando aqui.

  • resistencianegrarevistaacervo

    Revista Acervo abre chamada de artigos para o dossiê "Memórias e legado das resistências negras"

    A revista Acervo abre chamada de artigos para o dossiê Memória e legado das resistências negras. A edição tem previsão de publicação em janeiro de 2020, e é organizada pelos historiadores Carlos Alberto Ivanir dos Santos, do Arquivo Nacional, e Álvaro Pereira do Nascimento, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

     

    Espera-se artigos inéditos de cunho teórico e metodológico que possam vislumbrar as inúmeras experiências históricas, culturais e religiosas, e formentar reflexões sobre as construções e os lugares de memórias e resistências dos grupos negros no Brasil. Os trabalhos devem estar de acordo com as normas editoriais e atender ao escopo apresentado.

     

    A revista Acervo recebe somente submissões assinadas por doutores ou que tenham doutores como coautores. E o prazo para submissão de artigos é até o dia 30 de abril de 2019.

     

    Saiba mais aqui.

     

    revistaacervoresistencianegra

  • imagem_resolucao

    Disponíveis resoluções sobre Governança de TI na UFG

    Foram publicadas as Resoluções do CONSUNI nº 18/2018, nº 19/2018 e nº 20/2018, que versam sobre Governança de TI na UFG.

    Estão disponíveis a RESOLUÇÃO - CONSUNI Nº 18/2018 que altera a Resolução CONSUNI Nº 10/2015, que cria o Comitê de Tecnologia da Informação da UFG; a RESOLUÇÃO - CONSUNI Nº 19/2018 que altera a Resolução CONSUNI Nº 25/2017, que institui o Sistema de Governança de Tecnologia da Informação (SGTI) e a RESOLUÇÃO - CONSUNI Nº 20/2018 que Altera a Resolução CONSUNI Nº 42/2017, que institui a Política de Tecnologia da Informação (PoliTI) no âmbito da Universidade Federal de Goiás.

     

    Estas resoluções contam com diagrama do fluxo em anexo, de modo a facilitar o entendimento dos documentos.

  • cesio1

    ''...E o Desastre Radioativo de Goiânia se Revela: Narrativas e Memórias Jornalísticas''

    No dia 13 de novembro de 2017, aconteceu a abertura da exposição ''...E o Desastre Radioativo de Goiânia se Revela: Narrativas e Memórias Jornalísticas''. O evento contou com a presença do reitor da Universidade Federal de Goiás, Professor Orlando Afonso Valle do Amaral, da Diretora do Centro de Informação, Documentação e Arquivo, Heloísa Esser dos Reis e da curadora da exposição, a antropóloga Telma Camargo da Silva. Também se fizeram presentes representantes do judiciário; dos governos estadual e municipal; da Associação das Vítimas do Césio-137 e da Associação dos Contaminados, Irradiados e Expostos ao Césio 137. O evento contou ainda com a realização da mesa-redonda que discutiu a atuação da imprensa na cobertura, em 1987, do desastre com o Césio - 137, dentre os convidados estavam Cesar Luiz V. Nei Clara Lima, Suely Lina, Mirian Tomé,Telma Camargo da Silva, Cileide Alves, Washington Novaes e Jadir Andrade. As falas aconteceram no auditório da Academia Goiana De Letras e seguiu com a abertura na Casa da Memória da Justiça Federal de Goiás.

    folder21

     

    Imagens: Flávio Diniz

    Veja as fotografias do evento clicando aqui.

    Folder informativo.

  • Rede

    Rede de Arquivos e Protocolos Setoriais - UFG

    A Rede de Arquivos e Protocolos Setoriais da UFG será formada por membros representantes de todas as unidades e órgãos indicados por seus dirigentes.

    Os membros da Rede planejarão ações que visam resolver questões referentes aos arquivos físicos e digitais das unidades e órgãos de forma participativa e colaborativa. A Rede também promoverá a gestão de documentos em todas as unidades e órgãos, obedecendo ao que expressa o Manual de Gestão de Documentos da UFG, lançado em 20/09/2017.

    As primeiras reuniões serão agendadas para o mês de agosto de 2018. Para a execução do planejamento, os membros da Rede se dividirão em subgrupos de acordo com a característica da atividade, da abrangência e da proximidade das unidades e órgãos. 

    O membro escolhido pela unidade ou órgão para integrar a Rede de Arquivos e Protocolos Setoriais deverá ser servidor efetivo. No processo de escolha deverão ser observados os seguintes requisitos preferenciais:

    1. a) ocupar cargo de técnico de arquivo;
    2. b) ter participado de treinamento em gestão de documentos;
    3. c) ter participado de treinamento para o Sistema Eletrônico de Informações;
    4. d) participar da execução das atividades de protocolo, arquivamento, controle e desarquivamento de documentos na unidade ou órgão.

    O Cidarq solicita que os membros representantes sejam indicados pelos dirigentes das pró-reitorias, regionais, unidades e órgãos, em conformidade com o que estabelece o documento expedido pelo Cidarq, até o dia 03/08/2018, para o endereço eletrônico rede.cidarq@ufg.br

    As inscrições, para o curso Curso Procedimentos da Gestão Documental na UFG promovido pelo Cidarq em parceria com a Diretoria de Acompanhamento e Desenvolvimento de Pessoas (DAD), estão abertas e será realizado entre os dias 04/09 e 04/10 e recomenda-se que todos os servidores indicados façam sua inscrição e participem do curso.

  • Ver todas